Rota Cafés #2: Gijón, um café pra fazer cara de intelectual

É um prazer entrar num local onde já estiveram tantas personalidades e, ao escolher uma mesa, saber que ali tantos temas importantes foram discutidos. Quando conhecemos a história do Café Gijón, queremos fazer parte dela.

Fachada Café Gijón

Tudo começou quando o asturiano Gumersindo Garcia retorna de Cuba e decide abrir um negócio em Madri. Escolhe o nome em homenagem à sua cidade natal e, em 1888, inaugura o Café Gijón.

Desde então o local acolheu as mais importantes tertúlias, testemunhou conflitos, foi inspiração pra livros e quadros, e desde 1950, dá nome a prêmio literário.

Clientes famosos
Pelas mesas desse café de tertúlia, nome dado aos locais onde se realizava esse tipo de reunião, passaram grandes personalidades como Federico García Lorca, Santiago Ramón y Cajal, Camilo José Cela, Mario Vargas Llosa e Octavio Paz.

Tarta de Santiago y café Bombón

Escolha um bom livro, caminhe prazerosamente pelo Paseo de Recoletos e, ao entrar no Café Gijón, você se sentirá parte da história. O preço caro e o mau humor dos garçons você ignora ;)

FICA A DICA >> experimente o Café Bombón preparado com leite condensado e, pra acompanhar, Tarta de Santiago (foto).

Preço dos cafés: €4,10 (cafezinho), €5,40 (cappuccino), €9,20 (cafés especiais)
Endereço: Paseo de Recoletos, 21
Metrô: Banco de España ou Colón

Site: www.cafegijon.com

{ Post relacionado: Rota Cafés #1: O que a Starbucks tem de tão especial?

Anúncios

Gostou do post? Quer deixar uma sugestão? Esse espaço é seu

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s